Siga-nos

gallery/facebook
gallery/twitter
gallery/google-plus

ZSISTEMAS - ZAPPAROLI SISTEMAS E TECNOLOGIA

gallery/whats

Seja um PERITO JUDICIAL

Quando o JUIZ entender necessário algum esclarecimento da lide que dependa de conhecimento técnico dentro do processo judicial que ultrapasse seus conhecimentos, ele pode contratar um profissional externo para auxilá-lo a entender melhor o assunto. Este profissional é conhecido como PERITO JUDICIAL e trabalha para o JUIZ, isto é, trabalha para a Justiça, portanto torna-se um funcionário pública durante trabalhos periciais.

 

Identificando a necessidade do Perito no processo, o JUIZ procura no cadastros de Peritos o profissional mais capacitado para exercer tais atividades. Por exemplo: se o processo envolve a vistoria/exame/investigação de um veículo automotor (carro), ele entende que o profissional mais capacitado seja o Engenheiro Mecânico, desta forma o JUIZ deve intimar (chamar) no processo um Engenheiro Mecânico, que poderá aceitar ou não o encargo que lhe foi atribuido. Caso aceite o Perito terá 5 dias para elaborar uma proposta de honorários (orçamento), que será analisada pelos AUTORES e RÉUS e, se os valores forem condizentes com o serviço prestado, o profissional será intimado a iniciar as atividades periciais. No final dos serviços o Perito juntará (protocolará) no processo o LAUDO PERICIAL, contendo todas as análises por ele realizadas, recebendo então os devidos honorários.

Quem pode ser um Perito Judicial

Qualquer cidadão brasileiro conhecedor de causa, isto é, qualquer pessoa pode ser um PERITO JUDICIAL, desde que tenha conhecimento no objeto da perícia.

 

A lei concede preferência para os diplomados (graduados, pós-graduados, especialistas, mestres, doutores, pós doutorados), isto é, se no cadastro de Peritos houver um profissional formado e diplomado na área do processo e, um profissional conhecedor de causa sem diploma, entende-se que o JUIZ deverá escolher o de maior nível formacional.

 

Os Peritos mais comumente nomeados são Contadores, Engenheiros, Arquitetos, Analistas, Artistas.

  • Contadore geralmente realiza os cálculos de valores das sentenças que muitas vezes são bem complexas;
  • Engenheiro Civil é nomeado para analisar uma discussão sobre imóveis, danos estruturais, precificação, análise de responsabilidades, etc;
  • O Engenheiro Eletricista é nomeado para analisar danos elétricos de grande porte em imóveis, indústrias, fraude nos sistemas de energias, etc;
  • O Engenheiro Mecânico é nomeado para analisar uma discussão em estruturas metálicas, danos em veículos automotores, etc;
  • O Arquiteto é nomeado para analisar o projeto arquitetônico, erros de designer;
  • O Analista de Sistemas ou de Computação é nomeado para identificar fraudes eletrônicas, softwares piratas, cópias indevidas, buscas e apreensão de computadores, etc;
  • O Artista Plástico é nomeado para identificar discrepâncias no designer de peças, partes, quadros e demais obras de artes;
  • O Artista Visual é nomeado para analisar discussão em imagens e vídeos.

Você gostaria de ter uma renda a mais no final do mês para ajudar nos gastos da famílila?

Você gostaria de continuar trabalhando e ainda ser um PERITO DA JUSTIÇA?

Você gostaria de ser um PERITO JUDICIAL a serviço do TRIBUNAL DE JUSTIÇA BRASILEIRA e receber salários que você mesmo determina?

Venha ser um PERITO JUDICIAL. Faça o curso e aprenda como é fácil. Não necessita de concurso público, basta ser formado em qualquer área que a justiça necessite. Venha que a gente te explica e descomplica.

Escopo do curso de Perícia Judicial

PRIMEIRA ETAPA

  1. Apresentação do Ministrante e também Perito Judicial Agenor Zapparoli
    1. Formação
    2. Porque e como se tornou um Perito?
    3. Exemplo de algumas perícias já realizadas
  2. Apresentação dos alunos
    1. Áreas de atuação
    2. Motivo e Interesse
    3. Formações
  3. Abertura de perguntas preliminares
  4. Perícia Judicial?
    1. Pra quem o Perito trabalha?
    2. Quem contrata o Perito?
    3. O que é Perito Judicial?
  5. Quem pode ser Perito Judicial?
    1. Qualquer pessoa?
    2. É rentável?
    3. Quem determina o valor do Perito?
    4. Como o Perito recebe?
    5. Preciso ter diploma?
  6. O que faz um Perito Judicial?
    1. Como se tornar um Perito Judicial
    2. O que o Perito precisa saber
    3. Como elaborar o currículo
    4. Como e onde se cadastrar
  7. Conselho de Classe
    1. O que é Conselho de Classe?
    2. Eu preciso estar ligado a um Conselho de Classe?
    3. Quais os valores dos Conselhos de Classe?
    4. O que é ART?
    5. Quem deve emitir ART?
    6. Como emitir uma ART?
  8. Honorários
    1. Entidades reguladoras
    2. Como calcular os honorários?
    3. O que é honorário?
  9. Assistente Técnico?
    1. O que é Assistente Técnico?
    2. Quanto surge a necessidade do Assistente Técnico?
    3. Quem contrata Assistentes Técnicos?
    4. O que faz o Assistente Técncio?
  10. Diferença entre LAUDO e PARECER TÉCNICO
    1. Investigação
    2. Coleda de provas
    3. Exames
    4. Análises
    5. Descritivo cronológico ou histórico
    6. Elaboração do LAUDO PERICIAL OFICIAL
    7. Respostas dos quesitos preliminares, complementares e suplementares
    8. Comparecimento em audiência
gallery/man-working-in-modern-office_925x

Curso de Perito Judicial

O curso é divido em 3 etapas, podendo ser em 3 dias ou em 3 períodos do dia, exemplo: na parte manhã, tarde e noite de um sábado.

Valores do curso

Sobre o Perito Judicial

R$400,00

Neste estapa realizamos as apresentamos iniciais do Ministrante e dos Alunos, as mais importantes informações conceituais sobre a Perícia Judicial e os procedimentos para um profissional se tornar um Perito Judicial.

Sobre as leis e normas

R$200,00

Nesta etapa apresentamos alguns casos reais de Perícias Judiciais já realizadas e, discutimos sobre as leis, normas e regras de conduta que envolvem a Perícia e o Perito Judicial.

Simulado e Laudos

R$300,00

Nesta etapa o Ministrante organiza um simulado de uma Perícia Judicial, interagindo com os alunos que desejam participar, apresentando as etapas dos serviços periciais e no fim uma explicação geral sobre elaboração de LAUDOS PERICIAIS.

Curso de Perícia Judicial

OBS: Os valores e demais informações desta tabela estão sujeitos à alterações.

Faça um cadastro sem compromisso para sabemos que você tem interesse no curso. Nós ligaremos ou enviaremos um e-mail para informarmos a turma mais próxima de sua cidade ou, se tivermos muitos pedidos para sua cidade montamos uma turma nova.

Cadastre para o curso sem compromisso

TERCEIRA ETAPA

  1. Simulação passo a passo de uma Perícia Judicial
    1. Neste dia o Ministrante apresentará uma simulação real, com a participação de todos, de como é a vida de um Perito desde o primeiro dia (nomeação) até o fim (recebimento dos honorários)
      1. Juiz ou partes reconhece fato estranho a seus conhecimentos nos autos
      2. Juiz ou partes identificam necessidade de nomeação de Perito Judicial
      3. Partes solicitam indicação de Perito Judicial
      4. Juiz defere pedido das partes, escolhe e nomeia Perito
      5. Secretaria intima Perito e determina 05 dias para apresentação de proposta de honorários
      6. Perito recebe intimação
      7. Perito realiza carga dos autos
      8. Perito analisa:
        1. Objeto da Perícia e competência
        2. Pedidos
        3. Quesitos
        4. Provas
      9. Perito decide aceitar o múnus
        1. Perito planeja a perícia
          1. Local apropriado
          2. Deslocamento e alimentação
          3. Ferramentas
          4. Metodologia
          5. Calcula a quantidade de horas necessárias
          6. Define o valor
        2. Perito apresenta proposta de honorários
      10. Juiz intima as partes analisarem a proposta
      11. Partes concentem ou apresentam contra proposta
      12. Juiz intima Perito para analisar contra proposta
      13. Perito decide se aceita novo valor ou mantem proposta inicial
      14. Juiz decide mantendo o valor dos honorários
      15. Juiz intima Perito para agendamento do local, data e  hora da perícia
      16. Perito apresenta petição comunicando local, data e hora da perícia
      17. No dia da perícia Perito chega ao local, se identifica, procura os responsáveis e identifica a presença
        1. Caso esteja faltando representante de alguma das partes aguarda por alguns minutos
        2. Caso estejam todos presentes comunica início das atividades
          1. Com os autos em mãos inicia a parte formal da períca
            1. Apresenta os fatos narrados em petição inicial, contestação, impugnação, pedidos e quesitos
            2. Inicia a investigação
            3. Abre a palavra para o AUTOR se expressar
            4. Abre a palavra para o RÉU se expressar
            5. Realiza algumas perguntas previamente planejadas
            6. Define e explica como será a parícia material
          2. Encerra a perícia parte forma e inicia a parte material
            1. Procede conforme planejado:
              1. os procedimentos foto e cinematográficos
              2. as investigações
              3. as coletas de dados
              4. os exames
              5. as análises
            2. Ao final explica aos presentes sobre os procedimentos adotados
            3. Abre a palavra para as partes questionarem, solicitarem e sugerirem novos procedimentos
          3. Encerra a perícia parte material
          4. Coleta assinatura dos presentes
        3. Encerra a perícia despendindo de todos
      18. Perito se dirige ao seu escritório para iniciar a elaboração do LAUDO PERICIAL OFICIAL
  2. Como elaborar um LAUDO PERICIAL
    1. Capa
    2. Descrição das partes
    3. Descrição dos conteúdos
      1. Páginas
      2. Anexos
      3. Apêndices
      4. Tabelas
      5. Figuras
      6. Gráficos
      7. Fotografias
      8. Vídeos
      9. Desenhos
      10. Imagens
    4. Apresentação
    5. Índice
    6. Considerações iniciais
    7. Objeto da perícia
    8. Objetivo
    9. Problematização
    10. Ferramentas
    11. Da competência
    12. Conceituação técnica
    13. Do agendamento da perícia
    14. Dos assistentes e consultores
    15. Dos presentes
    16. Preâmbulo - Histórico
    17. Coleta de dados
    18. Exames dos dados
    19. Análises dos dados
    20. Da metodologia utilizada
    21. Da geração do CD ou DVD
    22. Resumo
    23. Conclusão
    24. Respostas dos quesitos
    25. Dos documentos anexados apensados
  3. Impressão e protocolo do LAUDO PERICIAL nos autos
  4. Juntada de petição de liberação de alvará judicial
  5. Juiz aprecia juntada do LAUDO e pedido de liberação de alvará
  6. Juiz libera alvará
  7. Perito retira duas vias do alvará de pagamento e dirige-se ao Banco do Brasil para recebê-lo

SEGUNDA ETAPA

  1. Exemplos de algumas perícias já realizadas
    1. Qual o objeto da perícia?
    2. As partes compareceram?
    3. Quais os procedimentos?
    4. A alegação era verdadeira ou falsa?
    5. Curiosidades
  2. Leis, normas e condutas que envolvem o Perito Judicial
    1. CPC - Código do Processo Civil
      1. Art. 464 - A prova pericial consiste em exame, vistoria ou avaliação.
        1. § 1o O juiz indeferirá a perícia quando:
          1. I - a prova do fato não depender de conhecimento especial de técnico;
          2. II - for desnecessária em vista de outras provas produzidas;
          3. III - a verificação for impraticável.
        2. § 2o De ofício ou a requerimento das partes, o juiz poderá, em substituição à perícia, determinar a produção de prova técnica simplificada, quando o ponto controvertido for de menor complexidade.
        3. § 3o A prova técnica simplificada consistirá apenas na inquirição de especialista, pelo juiz, sobre ponto controvertido da causa que demande especial conhecimento científico ou técnico.
        4. § 4o Durante a arguição, o especialista, que deverá ter formação acadêmica específica na área objeto de seu depoimento, poderá valer-se de qualquer recurso tecnológico de transmissão de sons e imagens com o fim de esclarecer os pontos controvertidos da causa.
      2. Art. 465. O juiz nomeará perito especializado no objeto da perícia e fixará de imediato o prazo para a entrega do laudo.
        1. § 1o Incumbe às partes, dentro de 15 (quinze) dias contados da intimação do despacho de nomeação do perito:
          1. I - arguir o impedimento ou a suspeição do perito, se for o caso;
          2. II - indicar assistente técnico;
          3. III - apresentar quesitos.
        2. § 2o Ciente da nomeação, o perito apresentará em 5 (cinco) dias:
          1. I - proposta de honorários;
          2. II - currículo, com comprovação de especialização;
          3. III - contatos profissionais, em especial o endereço eletrônico, para onde serão dirigidas as intimações pessoais.
        3. § 3o As partes serão intimadas da proposta de honorários para, querendo, manifestar-se no prazo comum de 5 (cinco) dias, após o que o juiz arbitrará o valor, intimando-se as partes para os fins do art. 95.
        4. § 4o O juiz poderá autorizar o pagamento de até cinquenta por cento dos honorários arbitrados a favor do perito no início dos trabalhos, devendo o remanescente ser pago apenas ao final, depois de entregue o laudo e prestados todos os esclarecimentos necessários.
        5. § 5o Quando a perícia for inconclusiva ou deficiente, o juiz poderá reduzir a remuneração inicialmente arbitrada para o trabalho.
        6. § 6o Quando tiver de realizar-se por carta, poder-se-á proceder à nomeação de perito e à indicação de assistentes técnicos no juízo ao qual se requisitar a perícia.
      3. Art. 466. O perito cumprirá escrupulosamente o encargo que lhe foi cometido, independentemente de termo de compromisso.
        1. § 1o Os assistentes técnicos são de confiança da parte e não estão sujeitos a impedimento ou suspeição.
        2. § 2o O perito deve assegurar aos assistentes das partes o acesso e o acompanhamento das diligências e dos exames que realizar, com prévia comunicação, comprovada nos autos, com antecedência mínima de 5 (cinco) dias.
      4. Art. 467. O perito pode escusar-se ou ser recusado por impedimento ou suspeição.
        1. Parágrafo único. O juiz, ao aceitar a escusa ou ao julgar procedente a impugnação, nomeará novo perito.Parágrafo único. O juiz, ao aceitar a escusa ou ao julgar procedente a impugnação, nomeará novo perito.
      5. Art. 468. O perito pode ser substituído quando:
        1. I - faltar-lhe conhecimento técnico ou científico;
        2. II - sem motivo legítimo, deixar de cumprir o encargo no prazo que lhe foi assinado.
      6. § 1o No caso previsto no inciso II, o juiz comunicará a ocorrência à corporação profissional respectiva, podendo, ainda, impor multa ao perito, fixada tendo em vista o valor da causa e o possível prejuízo decorrente do atraso no processo.
      7. § 2o O perito substituído restituirá, no prazo de 15 (quinze) dias, os valores recebidos pelo trabalho não realizado, sob pena de ficar impedido de atuar como perito judicial pelo prazo de 5 (cinco) anos.
      8. § 3o Não ocorrendo a restituição voluntária de que trata o § 2o, a parte que tiver realizado o adiantamento dos honorários poderá promover execução contra o perito, na forma dos arts. 513 e seguintes deste Código, com fundamento na decisão que determinar a devolução do numerário.
Nome completo  
E-mail  
Cidade  
Endereço  
Como ficou sabendo dagente?  
Mensagem  
Anexo  
gallery/b3bbeb30c829e24ccbc7eb6a5cb9c645
gallery/b3bbeb30c829e24ccbc7eb6a5cb9c645
gallery/b3bbeb30c829e24ccbc7eb6a5cb9c645
gallery/b3bbeb30c829e24ccbc7eb6a5cb9c645
gallery/b3bbeb30c829e24ccbc7eb6a5cb9c645
gallery/b3bbeb30c829e24ccbc7eb6a5cb9c645
gallery/cas (837)
gallery/cadastre-se
gallery/cadastre-se
gallery/cadastre-se
gallery/cadastre-se
gallery/cadastre-se
gallery/cadastre-se
gallery/cadastre-se

O curso de Perícia Judicial tem grande demanda nacional, por isso montamos turmas nas capitais e grandes metrópolis em todo Brasil. Escolha a cidade mais próxima e faça a sua matrícula. Você também pode cadastrar-se sem compromisso informando sua cidade, pois se formarmos 10 pessoas interessadas podemos montar nova turma.

Turmas agendadas

gallery/cadastre-se

CIDADE

1 ETAPA

2 ETAPA

3 ETAPA

Porto Alegre - RS

Curitiba - PR

São Paulo - SP

17/10/18 da 09:00 as 12:00

18/10/18 das 14:00 as 17:00

19/10/18 das 18:00 as 21:00

Campo Grande - MS

Belo Horizonte - MG

03/10/18 das 19:00 as 22:00

04/10/18 das 19:00 as 22:00

05/10/18 das 19:00 as 22:00

Uberlândia - MG

10/10/18 das 19:00 as 22:00

11/10/18 das 19:00 as 22:00

12/10/18 das 19:00 as 22:00

Uberaba - MG

Vitória - ES

Brasilia - DF

31/10/18 das 19:00 as 22:00

01/11/18 das 19:00 as 22:00

02/11/18 das 19:00 as 22:00

Salvador - BA

07/11/18 das 19:00 as 22:00

08/11/18 das 19:00 as 22:00

09/11/18 das 19:00 as 22:00

Recife - PB

Fortaleza - CE

gallery/b3bbeb30c829e24ccbc7eb6a5cb9c645

Foto de Matthew Henry do Burts

Os locais, data e hora podem ser alterados sem prévio aviso. As pessoas pré-cadastradas recebem aviso por e-mail.

gallery/b3bbeb30c829e24ccbc7eb6a5cb9c645

Para acompanhamento do curso presencial será disponibilizada uma APOSTILA com todos os tópicos abordados durante o curso, possibilitando assim aos ALUNOS terem total acesso ao tema e aos slides antes do Perito abordá-los. Esta APOSTILA conterá todos os tópicos apresentados pelo PERITO MINISTRANTE nas 3 etapas do cruso, com alto nível de detalhamento, facilitando assim a assimilação e a antecipação do tema. ALUNOS que preferirem estudar a APOSTILA em casa terá maior facilidade no decorrer das apresentações. A APOSTILA conterá espaços hábeis para o ALUNO descrever suas observações, eliminando assim a necessidade de um caderno pessoal.

 

Os slides que forem utilizados na apresentação também serão disponibilizados aos ALUNOS, basta solicitar ao PERITO MINISTRANTE durante o curso. Leve um pendrive ou informe um e-mail para transferência.

Material didático

gallery/cadastre-se

Comentários

gallery/b3bbeb30c829e24ccbc7eb6a5cb9c645